O que é sentar em W e porque pode ser prejudicial para a criança

Nas muitas visitas que fazemos aos jardins de infância, nas muitas crianças que vemos diariamente ou até mesmo num simples catálogo de roupa infantil é cada vez mais comum vermos crianças sentadas no que designamos por sentar em W. A criança senta-se no chão, com os joelhos dobrados e as pernas rodadas formando o que pode parecer um W, sendo que a postura do tronco é frequentemente descaída/flácida. O recurso sistemático a esta posição poderá não ser benéfico ao desenvolvimento global da criança, acarretando consequências quer em termos estruturais quer no desempenho em atividades que impliquem o uso das duas mãos.





A maior parte das crianças irá explorar esta posição a uma determinada altura do seu desenvolvimento, no entanto, e quando adoção desta posição é frequente, pode ser um sinal de outras questões subjacentes que nos deixam em alerta.


Nesta posição a base de suporte da criança é maior e o centro de gravidade mais baixo, sendo uma postura que lhe pode ser útil para brincar pois assim não tem de se preocupar em manter o equilíbrio enquanto ao mesmo tempo se concentra nos brinquedos. No entanto, se o adulto experimentar e conseguir sentar-se em W vai perceber que nesta posição é muito difícil rodar o tronco e transferir peso para um lado e para o outro tornando difícil o alcançar de brinquedos que estejam mais afastados. E rodar o tronco e transferir peso são assim tão importantes? Qualquer Terapeuta Ocupacional irá responder SIM! Ele vos dirá que estas competências vão permitir que a criança desenvolva adequadas reações de equilíbrio e uma boa coordenação dos dois lados do corpo, as quais serão alicerces importantes para o cruzamento da linha média e definição da dominância lateral, competências de extrema importância para a participação da criança em atividades desportivas, académicas e de autonomia como sejam jogar à bola, andar de bicicleta, escrever, cortar com a tesoura, comer de faca e garfo, apertar botões.


Para além disso, o acesso a mais e mais diversos padrões de movimento é extremamente importante para atingir outras competências de desenvolvimento, uma vez que cada competência motora que a criança desenvolve é o produto do desenvolvimento de outros marcos anteriores.


Pela nossa experiência percebemos que a maior parte das crianças adota esta postura pela fraqueza dos músculos responsáveis pela estabilidade postural, sendo o sentar em W uma estratégia compensatória. Mas as crianças não ganham força ou desenvolvem estabilidade postural se estiverem com a base de suporte “colada” ao chão! O sentar em W pode provocar encurtamento e estreitamento dos músculos da anca e das pernas o que pode levar a alterações nas costas e dores na pélvis enquanto crescem ou mesmo alterações no andar, como andar com os pés virados para dentro.


Assim, por todas estas razões torna-se fundamental alertar os pais que se a criança escolhe passar a maior parte do seu tempo sentada em W, ela está a falhar importantes aspetos do desenvolvimento. Além de que o sentar em W pode ser um sinal de outras condições que necessitam ser avaliadas! Desta forma, encoraje outras posturas para brincar no chão, mas se percebe que é difícil para a criança manter outra posição além do sentar em W, talvez esteja na altura de procurar ajuda.


Inês Guedes

Terapeuta Ocupacional

3,659 visualizações

Rua Instituto de Cegos de São Manuel 231, 4050-308 Porto

geral@saudeinfantilporto.com

227 666 508 | 967 384 469

  • Facebook
  • Instagram

©2018 by SIP - Saúde Infantil Porto.